PDAT – Plano de Difusão e Aplicação Tecnológica

 

O que é o PDAT ?

É um projeto idealizado pelo GIFC, que visa trazer o conhecimento científico presente nas universidades para a realidade do setor sucroalcooleiro, dessa forma contribuindo para a extensão rural em benefício das Usinas de Cana-De-Açúcar.

Os dois principais objetivos do programa são:


-Aumentar a eficiência dos tratos culturais através da previsão e do planejamento de safra garantindo, pelo levantamento de custos, a sustentabilidade financeira e o melhor aproveitamento do capital.

-Viabilizar a aplicação prática do conhecimento científico e favorecer a extensão rural.

 

  Quais nossas vias de atuação ?

 

  1. PECEGE ESALQ USP

Participação no levantamento de Custos de Produção de Cana-De-Açúcar irrigada e fertirrigada incluindo açúcar, etanol e bioeletricidade no Brasil, fornecidos pelo PECEGE, órgão filiado a ESALQ USP. Aos participantes da pesquisa serão disponibilizados relatórios completos do levantamento de custos, uma análise individual (benchmarking) comparativa dentro de cada região e análises personalizadas e exclusivas. Os dados serão gerais serão apresentados no III IRRIGACANA e no seminário realizado pela própria PECEGE, o qual terá um período destinado apenas para Cana-De-Açúcar Irrigada, dados que também estarão disponíveis no portal para com exclusividade aos contribuintes.

 

Amostra do Relatório individual resultante da análise de dados.

principais-pontos-de-analise

Este relatório será elaborado e apresentado de forma individual e exclusiva ao contribuinte através dos dados específicos apresentados pela Usina de Cana de Açúcar. Junto às informações acima, serão disponibilizados diagnósticos econômicos (agrícolas, industriais e produtividade agroindustrial) e uma conclusão por extenso feita pelos economistas da PECEGE.

 

  1. TEMPO CAMPO ESALQ.

O TEMPO CAMPO é um projeto, idealizado pelo Prof. Dr. Fábio Marin da ESALQ USP Piracicaba, que permite, através da análise de dados climatológicos, a previsão da safra atual em relação a anterior. Ou seja; uma previsão exclusiva e específica da Usina contribuinte de qual a influência do clima na sua produtividade e assim quantificar essa influência.

Amostra de resultado TEMPO CAMPO ESALQ

 

Monitoramento (exemplo).

 1-soca-abril

Resultado Final TEMPO CAMPO, PREVISÃO DE SAFRA.

cenario

Interpretação: No cenário otimista, a influência climática influi que a produtividade da safra de 2015 seja 1% maior que a produtividade de 2014. No cenário pessimista a produtividade de 2015 deverá ser 13% menor que a de 2014 e é mais provável que, de acordo com a influência climática a produtividade de 2015 seja a mesma de 2014.

 

  1. INTERPRETAÇÕES DE DADOS METEOROLÓGICOS

Dados de estações gerados serão interpretados e transformados em informações pelas Universidades.

A interpretação feita pelas universidades trará para a Usina contribuinte informações sobre; Temperatura do ar, velocidade do vento, umidade relativa, direção do vento, velocidade máxima do vento, radiação solar média, precipitação, ETo entre outras informações de suma importância não só para o manejo da irrigação, mas também para formação de um banco riquíssimo de informações periodicamente consultáveis para o manejo do canavial como um todo. Será feito também um sistema de controle favorabilidade climática para monitoramento de doenças. Essas informações serão promovidas através de um grupo de estudo formado por alunos, mestrandos e professores e enviadas a Usina contribuinte por diversas vias de comunicação.

2.4 ACOMPANHAMENTOS DA FABRICAÇÃO, MONTAGEM, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE ADUTORAS.

O GIFC atuará como órgão inspeção e certificação de fabricantes de sistemas, matéria prima e equipamentos relacionados a adutoras de vinhaça e irrigação, para o mesmo será formada uma comissão especializada que desenvolverá uma sistemática de avaliação para garantir a qualidade de qualquer equipamento relacionado utilizado pelo contribuinte.